Consultoria Ludie atua na necessidade de apoio socioemocional às famílias e professores e melhoria no clima escolar

Consultoria Ludie atua na necessidade de apoio socioemocional às famílias e professores e melhoria no clima escolar

Consultoria socioemocional LUDIE atua nessas frentes e auxilia escolas a aumentar a sua percepção de valor pelas famílias

As pesquisas “Compreendendo a relação entre Professor e Escola” e “Compreendendo a relação entre Família e Escola” na quarentena mostram dados importantes aos gestores educacionais: mais de 50% dos professores afirmam que o clima escolar precisa ser melhorado. E 63% deles acreditam que a escola contribui pouco com o desenvolvimento socioemocional dos professores.

Quanto aos pais e responsáveis, a pesquisa constatou que para 53% deles a escola tem conseguido contribuir “um pouco” com o desenvolvimento socioemocional do seu filho. Enquanto 25% declaram que a instituição de ensino de seu filho tem contribuído em “nada”.

Saber se este cenário se repete na sua escola não é fácil, já que muitas questões-problemas não são percebidas por estarem “fora da superfície”, ou seja, precisam de maior aprofundamento para serem compreendidas e consequentemente resolvidas.

Pensando nisso, a LUDIE desenvolve a Consultoria em Psicologia Educacional, centrada no auxílio às escolas nas relações existentes no tripé escolar (alunos, professores e equipe escolar). Com foco em gestores e coordenadores, a Consultoria tem por objetivo aumentar a percepção de valor da escola pelas famílias, fortalecendo esta relação através de uma análise das necessidades de aprimoramento e desafios da escola.

Saúde mental e socioemocional na crise

Tanto os educadores quanto as famílias que participaram da pesquisa afirmam estar preocupados com a saúde mental e socioemocional na quarentena.

  • 76% dos professores se dizem preocupados com a própria saúde mental
  • 74% dos pais e responsáveis estão preocupados com condição emocional do seu filho

Outro dado expressivo é que 99% dos professores respondentes reconhecem que as habilidades socioemocionais dos educadores impactam no trabalho desenvolvido com os alunos. Assim como 86% deles acreditam que a empatia é o mais importante para o desenvolvimento do seu trabalho.

Questionadas sobre habilidades, 63% das famílias afirmam que lidar com a ansiedade contribui com o desenvolvimento pedagógico da criança, assim como lidar com a frustração e o desenvolvimento da criatividade, ambas com 62% cada.

Na Consultoria, todo o trabalho é desenvolvido a partir das percepções das famílias e dos professores sobre os pontos críticos da escola que apareceram na pesquisa em conjunto com um diagnóstico feito pela equipe LUDIE com a instituição de ensino, buscando compreender outros desafios específicos da escola.

Nesse projeto, está contemplado um planejamento estratégico para o desenvolvimento emocional da equipe escolar, ainda mais demandado no momento atual. Para isso, respeitamos a identidade escolar no desenho do projeto. A identidade escolar é o conjunto de características da escola, são as suas potencialidades, é a consciência que se tem dela e que a torna única.

Necessidade de aproximação com as famílias

Na pesquisa relação escola-família, dois dados reforçam a necessidade de aproximação com os pais e responsáveis. Para 40%, a comunicação da escola com as famílias precisa melhorar e ser mais clara; e mais de 30% declaram que a escola precisa aumentar o vínculo com as crianças mesmo à distância.

Além disso, 98% das famílias valorizam muito a relação com a escola. Esse alto percentual evidencia como é necessário olhar com atenção e buscar construir e fortalecer os vínculos. Ainda mais no momento atual, que explicitou, desde a suspensão das aulas presenciais, a importância da proximidade entre escola-família.

A pesquisa “Compreendendo a relação entre Professor e Escola na Quarentena” foi realizada no mês de maio deste ano e ouviu educadores, entre professores de escola, auxiliar e assistente, orientadores educacionais, coordenadores pedagógicos e diretores de escola. A maior parte é professor de escola (62,3%), seguido de coordenador pedagógico (15,8%).

Enquanto a pesquisa “Compreendendo a relação entre Família e Escola na Quarentena”, realizada no mesmo período, contou com a participação de pais e responsáveis. A maior parte dos familiares respondentes têm filho com idade entre 8 e 11 anos (39,4%), seguido de crianças de 4 e 7 anos (31,4%) e 0 a 3 anos (12,8%); e adolescentes e jovens de 12 a 15 anos (12,8%) e 16 a 18 anos (3,6%).

 

Leia também sobre as oficinas customizadas com foco ao socioemocional.