O que os pais podem fazer diante de uma tragédia?

O que os pais podem fazer diante de uma tragédia?

Diante de uma tragédia como a da escola de Suzano, o primeiro passo é sempre escutar e acolher!

Na semana que se passou estivemos imersos, mesmo que de longe, na tragédia ocorrida na Escola Raul Brasil, em Suzano.

Isso acontece porque naturalmente sentimos o impacto do ocorrido e passamos a pensar o que podemos fazer na nossa realidade. Por isso, em situações tristes como essa, precisamos de tempo para acalmar a turbulência de emoções e sentimentos.

Nós da Ludie queremos olhar para essa triste situação e propor uma reflexão diferente.

Agora, com os ânimos acalmados, podemos olhar e entender que não devemos procurar “culpados fora da gente”, mas procurar dentro de nós, dentro da nossa realidade diária, daquilo que está perto, o que podemos fazer para ser a diferença.

Como podemos distribuir amor às pessoas que estão convivendo conosco no dia a dia ao nosso redor e às pessoas que cruzamos? Como conseguimos propagar o amor que tanto falta no mundo? E, principalmente, que atitudes precisamos ter para contribuir com a redução dessas tantas carências emocionais que a sociedade tem?

As respostas para tais perguntas devem se pautar em duas atitudes: escutar e acolher.

Nesse sentido, precisamos olhar para as nossas necessidades socioemocionais. Lidar com emoções e sentimentos não é fácil, assim como expressá-los.

Em situações de crise que afetam e mobilizam a sociedade, é importante desenvolvermos com nossos filhos momentos de escuta e acolhimento.

É importante também ficar um tempo em silêncio com eles, curtindo a presença um do outro.

Mais do que procurar respostas, é essencial trabalhar o diálogo, apoio mútuo e o amor em família e com as pessoas a nossa volta.

Renata Melo, Diretora de Conteúdos da Ludie e integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral (GEPEM) da UNESP/UNICAMP, ressalta a importância de olharmos para essas tantas carências emocionais que a tragédia evidenciou.

“Há importantes aprendizados que podemos colher a partir de uma dor. Nosso equilíbrio emocional é construído ao longo do tempo. Por isso, apoiar o desenvolvimento socioemocional das crianças desde cedo ajuda a prevenir lacunas emocionais em sua formação que podem prejudicar o seu desenvolvimento e suas atitudes no futuro. É esse olhar atento para necessidades e carências que nos permitirá escutar, entender e acolher nossos filhos e, assim, proporcionar-lhes um desenvolvimento pleno, cheio de afeto, bem-estar e, principalmente, amor”.

Para saber como podemos ajudar seus filhos a desenvolverem a inteligência emocional, clique aqui.